Autenticar

Login to your account

Username
Password *
Remember Me
  • Spotlight Image

    Mensagem de boas-vindas

    O Supremo Grande Capítulo do Arco Real de Portugal... Ler mais

  • Spotlight Image

    História do SGCARP

    O surgimento do Rito de York em Portugal, propicia-se com... Ler mais

  • Spotlight Image

    O Rito de York

    Sob a denominação de "Rito de York", foram... Ler mais

  • Spotlight Image

    Ligações

    Algumas ligações úteis sobre o Arco Real... Ler mais

Ligações

O Supremo Grande Capítulo do Arco Real de Portugal, mantém relações fraternais com a imensa maioria dos Grandes Capítulos do Arco Real de todo o mundo.

  • EUROPA
  • ÁFRICA
  • ASIA E AUSTRALIA
  • AMÉRICA DO NORTE
  • AMÉRICA DO SUL
  • AMÉRICA CENTRAL

Os Grandes Capítulos há semelhança dos Estados, reconhecem-se entre si e nomeiam representantes da mesma forma que os Estados nomeiam os seus embaixadores. Na base deste reconhecimento universal, a Maçonaria se divide entre as obediências que são Reconhecidas ou Regulares e as não Reconhecidas ou Irregulares.

Cada Grande Capítulo estabelece os seus reconhecimentos, mas como regra comum são comumente aceites os princípios e as diretrizes emanadas pelo General Grand Chapter of Royal Arch Masons International.

As regras base para o reconhecimento assentam, nos seguintes pressupostos:

    1. Regularidade de origem, ou seja, que o Grande Capítulo pertença a uma Grande Loja Regular e que esta tenha sido legalmente estabelecida por uma Grande Loja devidamente reconhecida ou por três ou mais lojas regularmente constituídas;Que seja um requisito para a admissão, a crença no G. A. D. U.
    2. Que todos los Mestres Maçons tenham prestado o seu juramento sobre o Volume da Lei Sagrada aberto, o esquadro e o compasso;
    3. Que os membros das Grandes Lojas e dos Grandes Capítulos sejam Homens e que não tenham relações maçónicas de qualquer tipo com Lojas mistas ou corpos maçónicos que admitam mulheres;
    4. Que a Grande Loja tenha jurisdição soberana sobre as lojas que estão sob a sua jurisdição e domínio; i.e, que será uma organização responsável, independente, soberana, com única e indiscutível autoridade sobre os graus simbólicos (Aprendiz, Companheiro e Mestre Maçon), dentro da sua jurisdição; e que não estará sujeita e não dividirá tal autoridade com nenhum Supremo Grande Conselho ou outro poder que reclame domínio ou inspeção sobre esses graus;
    5. Que as Três Grandes Luzes da Maçonaria (a saber: o Volume da Lei Sagrada, o esquadro e o compasso), estão sempre exibidos quando a Grande Loja ou as Lojas subordinadas estejam em trabalho ritual;
    6. Que seja estritamente proibida a discussão em loja de temas sobre religião e política;
    7. Que os princípios, usos e costumes da irmandade, sejam estritamente observados.

Últimas Notícias

Últimos Artigos